segunda-feira, 18 de junho de 2007

Cumplicidade


Quando o teu passar me vai mostrando
A forma como passas bela e graciosa
Do modo como olhas meiga e ansiosa
Pareces saber o que estou pensando

E se tu pensas o que estou julgando
Não esteja mais a tua mente duvidosa
Pois apesar de discreta e cuidadosa
O que sentes teu olhar vai revelando

Mas se temos o mesmo pensamento
Que nossos olhos mostram bem patente
O que é então que nos cala e nos impede

De acabar de vez com este fingimento
Tentando esconder aquilo que se sente
E que este nosso olhar há tanto pede?

2 comentários:

reles soturno disse...

ah... os olhares que gritam no silêncio

Júlio disse...

Oi, Bel, resolvi deixar de ser um observador anônimo. E, como te disse, você, foi, de certa forma, a inspiradora do meu blog. Aproveito a deixa: http://sobrecasaca.blogspot.com/
Tem textos meus e de alguns amigos.
Bjs