sexta-feira, 13 de abril de 2007

O Preto e o Branco


O preto e o branco. A ausência de cor e a união de todas as cores. O todo. A divisão absurda do todo que possibilitou guerras, conflitos, submissão e autoritarismo. Intolerância. Preconceito. Pré-conceito.

Racismo, miséria, doenças, conflitos armados. Essa é a síntese de um continente chamado África. Um continente marcado pelo esquecimento, tanto das autoridades, quanto das pessoas comuns.

Afinal de contas, o que é a África? Muitos até hoje a confundem com um país. Um país? Não, a África é um mundo. Um mundo de incertezas, insegurança, descrença, desigualdade, descaso.
Enquanto a África do Sul e os países da chamada África Branca, ao norte, como Líbia, Argélia e Egito regozijam com suas fortunas muito mal distribuídas, todos os outros países são dizimados pela fome, pela miséria, pela AIDS, pela falta de remédios, pela falta de carinho, compaixão.

E você que está sentado na sua cadeira confortável ou em qualquer lugar, também é culpado por isso. E por que não seria? Somos todos culpados. Nós deixamos isso acontecer com a mãe África.
Lá, um lugar onde animais selvagens convivem com seres humanos, onde a natureza e suas regras falam mais alto, um lugar abençoado por Deus e amaldiçoado pelo homem. Natural, não é?

Um lugar onde o preto é maioria e o branco domina e discrimina. Onde o branco da África do Sul deseja a volta do apartheid, onde o branco estrangeiro chega para tirar fotos plásticas, fazer matérias dramáticas e voltar para sua terra das oportunidades. Sem responsabilidade, sem peso, sem culpa.

Isso porque somos praticamente criados para não sentir culpa, afinal, a África está tão longe... coitados dos africanos. Ninguém sabe ao certo o que acontece por lá, ninguém sequer cogita passar suas férias lá. Para quê? Os EUA ficam do outro lado do oceano...

Pois a África é a nossa história, faz parte de cada um de nós. E se continuarmos a ignorar sua existência e sua calamidade, certamente ela ficará mais isolada, mais abandonada do que já está. Ela está morrendo!

Então o que se pode fazer? Ajude no que puder, se conscientize, se humanize. Os quase 800 milhões de necessitados querem respirar a salvo.
.
.
.
Bebel Clark

4 comentários:

masteren disse...

UAUUUU!!!! Parabéns pelo texo. Ele é tão lindo quanto a autora !!!
Beijos !!!!!

Nath Tosto disse...

Opa!!!
Conheço esse texto!
Acho até que ajudei na criação dele!
Mas está de Paraabéns mesmo, esse texto tá demais!
Adorei o blog!
Vou sempre entrar agora! =)
Beijinhos

steren disse...

Não sabia que tinhas tanto talento...muito lindo....continuo torcendo muito por você.Beijos da Sonia

grandão disse...

Marcante! às vezes me sinto mal por não estudar um pouco mais sobre a Africa. Saiba minha linda que só podemos ajudar um povo quando conhecemos sua história. Parabéns.