sábado, 14 de março de 2009

Talvez


E quando ele disse "saudade"
O peito dela se encheu de melancolia
Ele, que antes a fez tão completa
Hoje é apenas uma visão turva
De um sentimento vago
Um passado tão distante quanto sua infância
Doce lembrança
Anoiteceu, esfriou, choveu no coração da menina-mulher
Nem ela sabe ao certo quantas horas-sofrimento se passaram
Mas talvez seja apenas isso: Saudade

(de algo tão intenso que ela não mais quer)

Talvez.
.
.
.
Bebel Clark

3 comentários:

Ana B disse...

bel! adorei! e me identifiquei! é teu esse texto?
beijoca!

Bebel Clark disse...

Querida! Se não tem aspas, é meu...

bjsss que bom que gostou ;)

Nath Dumas disse...

Que bonito...